kefir: Como Fazer, Benefícios e Receitas

Você já ouviu falar de Kefir?

Há seis meses eu nem imaginava o que era, e agora – há pouco mais de uma semana – eu tenho os dois tipos dele na minha casa, kefir de leite e kefir de água.

kefir de leite e kefir de água

Grãos de Kefir de Água, à esquerda, e de Leite, à direita.

Confesso que ainda estou me adaptando. Ter grãos de kefir em casa dá trabalho. Eles se mexem, crescem de repente e você precisa cuidar todos os dias. Agora entendo porque muitos integrantes de grupos de kefir no Facebook se referem a eles como “meus bebês”.  🙂

Os grãos de kefir são colônia de bactérias e leveduras. Não se sabe exatamente como e onde surgiram e até hoje ninguém conseguiu produzi-los senão a partir de um pedaço da colônia já existente.

HISTÓRIA DO KEFIR

O nome kefir, ou quefir, vem do turco keif, que significa bem-estar, vida saudável.

Também conhecido como “grãos do profeta”, o kefir surgiu na região montanhosa do Cáucaso, há mais de 4 mil anos.

kefir nasceu no cáucaso

Cáucaso, o berço do kefir

Diz a lenda que Mohammed deu grãos de kefir para os povos ortodoxos e lhes ensinou como preparar. Os Grãos do Profeta eram considerados como parte da riqueza da família e foram passados de geração em geração.

Dessa forma, durante séculos o povo do norte do Cáucaso se alimentou com kefir sem compartilhá-lo com ninguém.

Outros povos ocasionalmente ouviam contos estranhos sobre esta bebida incomum que tinha “propriedades mágicas” e Marco Polo a mencionou nas crônicas de suas viagens no Oriente.

No entanto, fora do Cáucaso o kefir foi esquecido por séculos, até que a notícia de seu uso para o tratamento da tuberculose em sanatórios e doenças intestinais se espalhou. Os médicos russos queriam utilizá-lo em seus pacientes, mas era extremamente difícil de obter os grãos e assim sua produção comercial não era possível.

Foi então que, por volta de 1800, os irmãos Blandov, que tinham uma fábrica de queijo na rússia, foram contratados pelo governo russo para conseguir os grãos dos caucasianos. Nikolai Blandov enviou sua bela funcionária Irina Sakharova à corte de um príncipe local, Bek-Mirza Barchorov. Ela foi instruída a seduzir o príncipe para conseguir alguns grãos.

O príncipe se encantou pela jovem Irina, mas não estava disposto a entregar a ela seus “Grãos do Profeta”. Irina, percebendo que não iria conseguir cumprir sua missão, foi embora.

No entanto, no caminho de volta para casa, Irina foi sequestrada a mando do príncipe. Desde que era um costume local roubar uma noiva, Irina teria que se casar com Bek-Mirza Barchorov.

Após uma ousada missão de resgate montada por agentes de dos irmãos Blandov, Irina foi salva do casamento forçado e recebeu como recompensa pelos insultos que tinha sofrido dez libras em grãos de kefir.

E só assim os primeiros grãos de kefir entraram na Rússia em 1808 e se espalhou pelo mundo e, semana passada, chegou na minha casa.

OS BENEFÍCIOS DO KEFIR

flora intestinal e kefir

O nosso trato gastrointestinal é colonizado por diversas bactérias, que é chamado de “flora intestinal”. Esses microorganismos atuam em funções fisiológicas essenciais para nosso organismo.

É normal que em nossa flora intestinal nem todas as bactérias sejam benéficas. Um organismo equilibrado teria em torno de 85% de bactérias boas e 15% de bactérias ruins.

Entretanto, alguns fatores podem reduzir o número de bactérias benéficas e aumentar as bactérias ruins, como alimentação desequilibrada, estresse, uso de antibióticos com frequência e doenças.

Alimentos que contém bactérias vivas, como iogurtes e kefir, são probióticos. Eles estimulam a proliferação das bactérias benéficas em detrimento das bactérias prejudiciais, equilibrando a flora intestinal e reforçando os mecanismos de defesa do nosso corpo.

Os benefícios do kefir variam de acordo com a quantidade de grãos e tempo que fermentam. Alguns usuários relataram que o kefir fermentado por 12 horas solta muito o intestino; se fermentado por 24 horas regula o intestino e é ideal para quem tem problema de constipação intestinal. Já o kefir fermentado durante 36 horas prende o intestino solto. Quanto ao sabor, quanto mais tempo fermentando, mas ácido fica.

SORO DE KEFIR: O “WHEY PROTEIN” CASEIRO

O whey protein, consumido por quem malha e quer aumentar a massa muscular, nada mais é do que o soro do iogurte processado e transformado em pó. O soro do kefir é ainda mais nutritivo. Para conseguir esse soro, é necessário deixar o kefir de leite coando em um pano de prato ou coador de café por algumas horas.

Vamos entrar nos detalhes das receitas mais abaixo. Antes quero mostrar um post interessante que foi compartilhado no grupo de kefir do Facebook, falando dos benefícios desse soro:

COMO FAZER KEFIR 

O mais comum é o kefir de leite. Ele promove a fermentação natural do leite, conforme os lactobacilos vivos se alimentam da lactose. Dessa forma, quem tem intolerância ao leite, por conta da lactose, pode consumir o kefir. O gosto é muito parecido com o do iogurte, mas é mais saudável por conter maior quantidade de bactérias do bem.

E tem o kefir de água, que se alimenta do açúcar mascavo e também pode ser usado para fermentar sucos de frutas ácidas. Algumas pessoas colocam os grãos em suco de uva e o resultado fica parecido com vinho levemente frizante.

 Ao receber seus grãos em casa, tenha preparado:

– Recipiente de vidro;
– Para kefir de leite: um litro de leite integral sem ferro;
– Para kefir de água: açúcar mascavo sem ferro e água filtrada sem cloro;

Eu não encontrei um consenso em relação a quantidade de água/leite e grãos. Cada um acaba fazendo conforme sua preferência.

Eu coloco três colheres de grãos para cada meio litro de leite em um recipiente fechado e deixo fermentando por no mínimo 12 horas.

O kefir de água faço em outro recipiente, com 3 colheres de grãos, 3 colheres de açúcar mascavo e meio litro de água filtrada sem cloro. Também deixo fermentar por no mínimo 12 horas.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: