Dieta Paleolítica: Coma Comida De Verdade, saiba mais aqui!

Dieta Paleolítica: Coma Comida De Verdade, saiba mais aqui!

O assunto de hoje é uma dieta cujos princípios eu adoto na minha alimentação e sempre indico aos meus pacientes e seguidores: a dieta paleolítica.

A dieta paleo se baseia na dieta de nossos antepassados caçadores e coletores. Ela inclui alimentos integrais, não processados, que são encontrados na natureza.

Nossos ancestrais eram geneticamente iguais aos humanos modernos. Eles prosperaram comendo tais alimentos e estavam livres de doenças como obesidade, diabetes e doenças cardíacas.

Vários estudos sugerem que esta dieta paleolítica pode levar a perda de peso significativa (sem precisar contar calorias) e grandes melhorias na saúde.

Neste artigo, eu irei explicar mais como funciona a dieta paleo.

Não deixe de ler e compartilhar.

A Dieta Paleolítica Ajuda A Emagrecer?

A dieta paleo pode levar a redução do peso, pois promove a redução do consumo de carboidratos.

Os carboidratos como pães, massas e arroz são digeridos no estômago rapidamente elevando os níveis de glicose na corrente sanguínea e a glicose em excesso pode ser metabolizada e transformada em gordura, levando ao acúmulo no tecido adiposo. Estes carboidratos refinados são excluídos desta dieta, contribuindo assim com o emagrecimento.

Além disso, a dieta paleolítica prevê a eliminação do consumo de alimentos industrializados em geral, com glúten ou lactose, uma vez que o consumo destes alimentos atualmente pode estar associado ao ganho de peso, aparecimento de inflamações, distúrbios endócrinos e metabólicos.

Como Funciona A Dieta Paleolítica?

Não há uma maneira “certa” de comer, pois os nossos ancestrais comiam dependendo do que estava disponível no momento.

Mas de maneira geral, a carne proveniente de todos os tipos de animais era a base da alimentação no período Paleolítico. Elas são fontes de proteínas, nutrientes de extrema importância na nossa alimentação uma vez que fazem parte da composição muscular e recuperação dos tecidos, além de ser substrato para produção de hormônios, enzimas, anticorpos e outros agentes metabólicos.

É nas carnes que estão concentradas as maiores quantidades de aminoácidos essenciais, aqueles que não produzimos naturalmente em nosso organismo.

Como não havia cozinha na época e os homens ainda não plantavam trigo, milho, arroz, por exemplo, que dirá moíam e misturavam grãos no período paleolítico. As massas não existiam e, portanto, são naturalmente excluídas da dieta. Por isso, as fontes de carboidratos se tornam apenas as naturais.

As fontes de carboidratos na dieta paleolítica os legumes, verduras e frutas, que nos trazem a quantidade que precisamos desse macro nutriente e uma boa quantidade de fibras, tendo um menor índice glicêmico do que as massas.

Além disso, o consumo exagerado de carboidratos pode atrapalhar o emagrecimento de diversas maneiras. Eles se convertem em glicose na digestão, que dá energia ao nosso corpo e é levada às células pela insulina. Quando a glicose está sobrando, ela é convertida em triglicérides, uma energia armazenada para mais tarde, mas que se não usada, se acumula na forma de gordura localizada, os famigerados “pneuzinhos”.

Outra coisa, na Idade da Pedra, ninguém estava muito preocupado com o tipo de gordura que estava sendo ingerido. E esses itens realmente são importantes para o organismo, por isso elas não devem ser cortadas.

As gorduras mais importantes são as insaturadas, que trazem o efeito de reduzir o colesterol LDL, considerado ruim quando em grande quantidade, além de aumentar o HDL, conhecido como colesterol bom.

Por isso, se a ideia é comer como nossos ancestrais, é mais garantido ficar de olho nas gorduras e priorizar o consumo de peixes, principalmente os de águas profundas como sardinha, atum e bacalhau, e de oleaginosas, como castanhas, nozes, pistache, amêndoas e amendoim.

Já os industrializados estão vetados. A maioria dos alimentos industrializados possuem carboidratos refinados como farinha e açúcar branco na composição, considerados alimentos de alto índice glicêmico, e com baixo teor de fibras, ou seja, quando são ingeridos estes alimentos são rapidamente absorvidos pelo organismo através da ativação de grande quantidade de insulina.

A desvantagem desse processo, além de evitar a quebra das gorduras, é que o organismo comece a ficar resistente a esse hormônio, e isso ocasione uma resistência à insulina, condição associada à pré-diabetes. Além disso, há a grande quantidade de compostos químicos presentes nesses produtos, como corantes, conservantes e estabilizantes, que em grandes quantidades intoxicam nosso corpo e podem causar alergias. Um detalhe importante: tudo isso vale não só para alimentos como para as bebidas também.

Por fim, a dieta prega o jejum intermitente, provavelmente inspirado na dificuldade que os homens do Paleolítico tinham de encontrar comida todos os dias.

Considere isso como uma orientação geral, não algo escrito em pedra.

>> Coma: Carne, peixe, ovos, legumes, frutas, nozes, sementes, ervas, especiarias, gorduras e óleos saudáveis.

>> Evite: Alimentos processados, açúcar, refrigerantes, grãos, a maioria dos produtos lácteos, legumes, edulcorantes artificiais, óleos vegetais, margarina e gorduras trans.

Evite Esses Alimentos

Evite estes alimentos e ingredientes:

>> Açúcar e xarope de milho de alta frutose: refrigerantes, sucos de frutas, açúcar de mesa, doces, doces, sorvete e muitos outros.

>> Grãos: Inclui pães e massas, trigo, espelta, centeio, cevada, entre outros.

>> Legumes: feijão, lentilhas e leguminosas.

>> Laticínios: Evite a maioria dos produtos lácteos, especialmente de baixo teor de gordura (algumas versões do paleo incluem gordura completa como manteiga e queijo).

>> Óleos vegetais: óleo de soja, óleo de girassol, óleo de semente de algodão, óleo de milho, óleo de semente de uva, óleo de cártamo e outros.

>> Gorduras trans: encontrado em margarina e vários alimentos processados. Geralmente referidos como óleos “hidrogenados” ou “parcialmente hidrogenados”.

>> Adoçantes Artificiais: Aspartame, Sucralose, Ciclamatos, Sacarina, entre outros.

>> Alimentos altamente processados: Tudo rotulado como “dieta” ou “baixo teor de gordura” ou tem muitos ingredientes estranhos. Inclui substituição de refeição artificial.

Uma diretriz simples: Se parece que foi feito em uma fábrica, não coma!

Alimentos Para Comer Na Dieta Paleo

carne
A Dieta Paleolítica Envolve O Consumo De Carnes

Basear sua dieta nestes alimentos reais, não processados.

>> Carnes: Carne, cordeiro, frango, peru, carne de porco e outros.

>> Peixes e frutos do mar: salmão, truta, arinca, camarão, marisco, etc.

>> Ovos.

>> Legumes: brócolis, couve, pimentão, cebola, cenoura, tomate, etc.

>> Frutas: Maçãs, bananas, laranjas, peras, abacates, morangos e muito mais.

>> Nozes e Sementes: Amêndoas, nozes, sementes de girassol, sementes de abóbora e muito mais.

>> Gorduras e óleos saudáveis: Banha, óleo de coco, azeite, abacate e outros.

>> Sal e especiarias: sal, alho, açafrão, alecrim, etc.

Nos últimos anos, a comunidade paleolítica evoluiu bastante.

Existem agora várias “versões” diferentes da dieta paleo. Muitos delas permitem alguns alimentos modernos que a ciência mostrou ser saudável. Isso inclui bacon de qualidade e manteiga.

Outros alimentos, quando em pequenas quantidades, também são perfeitamente saudáveis. Como vinho e chocolate amargo.

Quando se trata de hidratação, a água deve ser a sua bebida. Mas chás e cafés sem adoçante também são aceitos.

Muitas pessoas pensam a dieta paleo como um modelo para basear sua dieta, não necessariamente como um conjunto rigoroso de regras que você deve seguir.

Estudos Sobre A Dieta Paleolítica

Uma dieta paleolítica melhora a tolerância à glicose.

Um estudo feito com 29 homens com doença cardíaca e níveis elevados de açúcar no sangue ou diabetes tipo 2, mostrou resultados positivos e melhoras na tolerância à glicose, níveis de insulina, peso e circunferência da cintura.

Outro estudo feito com 14 pessoas saudáveis mostrou que os indivíduos perderam peso e tiveram uma leve redução na circunferência da cintura e pressão arterial sistólica.

Em resumo, a dieta paleolítica é saudável, baseada em alimentos de verdade e indicada. Ela não foca sua atenção na quantidade de calorias e sim na qualidade dos alimentos. Ela promove vários benefícios para a sua saúde e emagrecimento ao cortar alimentos industrializados e açucarados da sua alimentação.

Você não precisa comer menos, você só precisa comer certo.

Abraços e fique com Deus!

Fonte do artigo: Dr. Juliano Pimentel.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: